Catalizadora de ambientes

.


Gosto de pensar em mim como uma livre-pensadora, uma polinizadora de mundos, uma netweaver de redes vivas, uma ‘fazedora’ de conteúdos e uma curadora de fluxos de conteúdos.

Quando eu entro em determinados ambientes como netweaver, uma das minhas atribuições é fazer com que os “ares” mudem, sejam na interação entre as pessoas, seja no entendimento do que está sendo conversado.

Num primeiro momento parece que estou levando o caos para eles, mas é que ao se desvelar o que está ocorrendo, a compreensão sobre conteúdos e intenções vão ficando mais claras e se alinhando.

E isso é particularmente verdade para as comunidades que participo.

Por isso é que quando descobri a Cultura Regenerativa, em 2018, me encontrei.

Tudo e todos precisam, em última análise, se regenerar.

Mas para haver regeneração é necessário que se enxergue o que deve ser regenerado, e como.

.

.

Share