dado, informação, conhecimento e… sabedoria

 

O tema ‘informação‘ começou a aparecer em minha vida quando em meados de 2000
descobri a pesquisa básica em Homeopatia e seus pesquisadores.

Mas ele já tinha dado o “ar de sua graça” quando construí em 1998 meu site de Homeopatia, “Homeopatia e Cia“, em HTML, complementado pelo fato de que desde o final dos anos 90 sou  heavy user de Internet e WEB.

Para mim a ‘informação’ que estava contida no medicamento homeopático e a linguagem HTML fizeram muito sentido juntas.
Ainda mais pela diferenciação entre sistemas dinamizados (só o preparado) e 
medicamentos homeopáticos
 (o preparado agindo no corpo de um ser vivo)
que foi muito significativa para mim nesta época.
Foi uma metáfora muito forte para mim do HTML. Ou vice-versa.

Quando em 2000 entrei no mestrado em História da Ciência na PUC-SP, e depois no meu doutorado (2006-2009, na PUC-SP), a semiótica (as questões de significação) também adentrou nas minhas questões sobre a “informação”, ainda que de uma maneira superficial, mas atrelada ao meus modelos de ser vivo e na biologia, pois tanto meu mestrado quanto meu doutorado foram baseados em obras e autores que pensavam a matéria bruta e matéria viva.

O que culminou no blog “O que fazer com a Informação” que criei em 2011, e que estou voltando a pensar no que ele significaria e em como manejá-lo.

[ e no blog “O Vital Da Ciência” , onde falo sobre ciência e sua história]

.

Deixe uma resposta