Novas abordagens do espiritual

 

Fazendo uma seleção de vídeos do TED para uma pessoa que pediu material para mandar à alguns adolescentes, que queriam ver novas abordagens à cultura de paz e de espiritualidade, fiz uma lista de 5 vídeos que gosto, e que achei muito apropriados para o que ela pedia.

E resolvi copiá-los no blog, para que não se perdessem e servissem (espero que possam ser úteis) a mais pessoas.

1) A morte é um dia que vale a pena viver: Ana Claudia Quintana Arantes no TEDxFMUSP

Começo com um vídeo maravilhoso, que tive o prazer de assistir pessoalmente, sobre cuidados paliativos em doentes terminais (que estão a beira da morte), mas que não estão necessariamente alheios (em coma ou algo semelhante).

“Por um lado, aliviar a dor e o sofrimento de doentes e familiares. Por outro, resgatar a biografia de pacientes. Esse é o exercício diário de Ana Claudia Quintana Arantes, médica formada pela FMUSP e especialista em Cuidados Paliativos pelo Instituto Pallium e Universidade de Oxford, além de pós graduada em Intervenções em Luto. Foi a responsável pela implantação das políticas assistenciais de Avaliação da Dor e de Cuidados Paliativos do Hospital Israelita Albert Einstein e é sócia fundadora da Associação Casa do Cuidar. Atualmente trabalha em consultório e como médica assistente do Hospice do Hospital da Clinicas da FMUSP, na Unidade Jaçanã.”

2) William Ury: O caminho do “não” para “sim”

Este outro é de um consultor que ousa procurar mais que mediar conflitos corporativos, ele busca a paz.

“William Ury, autor de “Getting to Yes,” oferece uma solução elegante, simples (mas não tão fácil) de chegar a entendimento mesmo nas situações mais difíceis – desde o conflito familiar a, por exemplo, o Médio Oriente.”

[em inglês com legendas em português]

 

3) Margaret Heffernan: Dare to disagree (ousar desagradar)

Esta para mim é o “turning point” da lista: você tem sempre que agradar? Por que? E isso é efetivo?

“A maioria das pessoas instintivamente evita o conflito, mas como Margaret Heffernan nos mostra, uma divergência “boa” é central para o progresso. Ela ilustra (às vezes contra as expectativas) como os melhores parceiros não são câmaras de eco – e como grandes equipes de pesquisa, relacionamentos e negócios necessariamente permitem que as pessoas discordem profundamente.”

[em inglês com legendas em português]

 

4) Brené Brown: The power of vulnerability (o poder de vulnerabilidade)

A vulnerabilidade nos enfraquece? Ou nos desarma?

“Brene Brown estuda conexão humana – a nossa capacidade de exercer a empatia, pertencimento, amor. Em uma fala comovente, e divertida, ela compartilha uma percepção profunda vinda de sua pesquisa, que a colocou em uma busca pessoal para conhecer a si mesma, bem como para entender a humanidade.”

[em inglês com legendas em português]

 

5) David Steindl-Rast: Want to be happy? Be grateful (Quer ser feliz? Seja grato)

E por último um belíssima palestra sobre a diferença entre gratidão e gratitude.

“A única coisa que todos os seres humanos têm em comum é que cada um de nós quer ser feliz, diz o irmão David Steindl-Rast, um monge e erudito inter-religioso. E a felicidade, sugere ele, nasce da gratidão. Uma lição inspiradora para desacelerar, olhar para onde você está indo, e acima de tudo, ser grato.”

[em inglês com legendas em português]

 

Depois de assistir estes 5 vídeos, me pergunto: de onde viria uma espiritualidade que fosse profundamente enraizada numa ética ligada à terra e a Terra?

Várias pessoas estão pensando nisso e exercendo na prática, ainda que de maneira experimental (se é que há outra maneira de fazer isso, o vulgo “aprender fazendo”).

Talvez este tipo de abordagem/sensação/postura mude tudo. Ou não. Mas eu sou grata mesmo assim.
.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: