crônicas

A coisa e a não coisa. Ou não.

Podemos ver o mundo de várias e várias maneiras. Eu, como historiadora da ciência, posso ver tudo como “coisa”. E daí começo a pensar em matéria e penso: “sou materialista”. Ou posso, como historiadora da ciência, ver tudo como “não-coisa”. E daí começo a pensar em matéria e penso: “sou animista”.

crônicas

Conduzindo Miss Dayse e as micro revoluções

Do ano em que meu filho mais velho nasceu, 1989, vem o filme “Conduzindo Miss Daisy”. Ótimos atores, em que uma história em que uma senhora sulista é forçada por seu filho a aceitar a contratação de um motorista e o escolhido por ele para isso é um negro (ver mais sobre a história aqui, aqui e aqui) e o meu ponto nisso tudo são as micro revoluções. E glocais.

conversa(s) com livros

De transformações, transmutações, e renascimentos.

Gosto muito de um livro que adquiri há pelo menos 20 anos atrás, “Cartas Xamânicas”, de Jamie Sams e David Carson, “a descoberta do poder através da energia dos animais”. E me lembrei de três deles hoje, em razão de um post no Facebook : borboleta, cobra e morcego.

%d blogueiros gostam disto: