complexidades

Os rios: sistemas vivos ou “canos de água limpa”? E as comunidades?

Há alguns anos li em um portal na WEB sobre o Córrego do Mandaqui: limpo e sem peixes. Um cano de água limpa sem peixes. E com um comentário de um morador da região que não entendia como um rio que estava limpo estava sem peixes. Qual o “porquê” disso?

ciência da informação

tudo funciona em rede. E em redes de redes. E em redes de redes de redes de…

O tema ‘redes’ começou a aparecer  em minha vida em meados de 2008,  quando descobri a Escola de Redes . O que descobri/apreendi por lá mudou minha visão sobre a informação. E sobre muita coisa mais.

crônicas

A coisa e a não coisa. Ou não.

Podemos ver o mundo de várias e várias maneiras. Eu, como historiadora da ciência, posso ver tudo como “coisa”. E daí começo a pensar em matéria e penso: “sou materialista”. Ou posso, como historiadora da ciência, ver tudo como “não-coisa”. E daí começo a pensar em matéria e penso: “sou animista”.

crônicas

Conduzindo Miss Dayse e as micro revoluções

Do ano em que meu filho mais velho nasceu, 1989, vem o filme “Conduzindo Miss Daisy”. Ótimos atores, em que uma história em que uma senhora sulista é forçada por seu filho a aceitar a contratação de um motorista e o escolhido por ele para isso é um negro (ver mais sobre a história aqui, aqui e aqui) e o meu ponto nisso tudo são as micro revoluções. E glocais.

%d blogueiros gostam disto: